sábado, 27 de maio de 2017

triângulo











não era ali que queria ir, nem onde lhe disseram para ir. o senhor do tempo surgiu no caminho que a levava à anciã.
- faz crescer o tempo fazendo aquilo que gostas. ele está a esgotar-se.
tinha-lhe mostrado o tempo como triângulos, quando fazia o que gostava, o triângulo invertido criava espaço de tempo, quando fazia apenas o que urgia, o triângulo estreitava o tempo.
anuiu e murmurou
- mas e ele? eu gosto dele...
- é um desperdício de tempo. tira-o do teu coração.
- não consigo
- como uma cebola. tira cada camada lentamente, para que no final te consigas ver, a ti, ao teu coração












9 comentários:

  1. Quando conseguir tira-las todas aviso-te.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando retiro, voltam a nescer-me...

      Eliminar
    2. As minhas morrem secas. Deixo-as ficar à luz e ao calor do meu coração e aos bocadinhos vou-me livrando delas.
      Se bem que as seguintes estejam sempre mais rijas que as anteriores...

      Eliminar
    3. já viste como somos tudo parte do todo? nós reflectidas numa cebola, iguaizinhas :)
      bom domingo, Ana.

      Eliminar
    4. Oh minha Ana... Tenho em mim a crença que todos as nossas pergunats estão respondidas na Natureza.
      E agora lembraste-me aquela frase do Brad Pitt naquela entrevisya famosa que deu, em que diz: Somos todos células do mesmo Todo. Só que algumas estão cancerosas...

      Eliminar
  2. Só que a cebola é coisa para fazer chorar uma pessoa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. assim como arrancar do coração alguém que se quer :)

      Eliminar
  3. Quanto mais mexo na cebola, mais as mãos me fica nas maos. Se tiro uma camada e descanso do esforço, quando volto nasceram duas... como te percebo, ana:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é preciso uma vigilância constante :)

      Eliminar