domingo, 23 de julho de 2017

três mil duzentos e setenta dias











as folhas da árvore escondem no seu avesso a cor cinzenta do céu.
há três mil duzentos e setenta dias que tento ouvi-las e só hoje percebi o que me querem dizer, elas e o vento.