segunda-feira, 8 de maio de 2017

é por isso








e é por isso que preciso dele. ele dá cor aos detalhes da minha vida. traz-me tudo o que eu não sei e sinto-me crescer, ficar grande grande quando ele me envia poemas e prosas, excertos de livros que eu nunca leria se não fosse através dele. ele faz com que eu dance ao som de músicas ciganas ou que sonhe e até entristeça ao som de um violino ou de um oboé. noutras alturas mostra-me que as árvores dão fruto enquanto florescem e mostra-me todas as tonalidades da mesma cor. com ele aprendo também a ver sem olhar, e, a sentir sem tocar como se tocada tivesse sido. depois, ele lava-me os cabelos, amacia-me a nuca e alivia-me os ombros. adormeço ancorada na baía do seu abraço, e quando acordo ele não está, mas está.









10 comentários:

  1. Respostas
    1. Eu acho que ela é uma interesseira, Maria :)

      Eliminar
  2. Ana, só me apetece perguntar-te porque é que as pessoas desistem disso tudo tão facilmente?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é fácil ficar, nem é fácil partir, Ana :)

      Eliminar
    2. Eu sei. Mas por isso mesmo, sendo as duas difíceis porquê escolher aquela que destrói em vez da que constrói?

      Eliminar
    3. a destruição acontece se nós deixarmos, senão há transformação, resiliência :)

      Eliminar
  3. A omnipresença nos pensamentos tem esse condão: fazer o resto do mundo desvanecer à frente dos olhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou sobrepor vários mundos...
      Bom dia, Impontual

      Eliminar
  4. sendo ou amor ou outra coisa e qualquer é bonito e faz-te bonita...

    ResponderEliminar