quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

A pele como o areal










O mar está furioso, e eu aqui onde estou, com as costas viradas para ele, não o posso fotografar para que o possas ver, mas parece que verte para dentro de mim e que as correntezas circulam debaixo da pele como as ondas endemoinhadas perdidas nas cavernas das rochas.
















2 comentários:

  1. Esteja como ele estiver, é sempre belo!

    tens poesia nos dedos!


    Boa tarde

    -___-

    ResponderEliminar