quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

devias arranjar alguém










a carla, a que me adivinha os desejos na hora do café, de forma a que eu nem tenha que pensar naqueles vinte minutos de descanso, suspira
- agora sim, posso dizer que tenho alguém que gosta de mim...
ela fala do namorado que trabalha em itália e vem passar dezembro com ela
- estou ansiosa por aquele abraço...
e enquanto fala, abraça o peito com os seus próprios braços, e trinca o guardanapo de papel, fechando os olhos
naquele momento, ela é ela e é ele, o amor dos dois num só corpo. eu diria que o amor, todo ele
- é que faz falta, sabes? faz falta alguém que nos abrace, que nos dê aquele carinho, aquele apoio... devias arranjar alguém, ana, sabes? devias...faz falta...
e ela fala assim como se fosse fácil, sentir os dois num só, quebrar a distância, como os dois fazem. ela, trabalha no café e nas horas livres trabalha aos dias numa doutora, ele, instala aparelhos de ar condicionado por essa europa fora.













4 comentários:

  1. Sim, como se fosse fácil... arranjar alguém que faça companhia, com quem nos possamos sentir num só pelo amor, alguém que não faça só numero e ocupe espaço onde não tem sítio... como se fosse fácil, caramba. Também o oiço, ana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. não é fácil, Olvido, baixar as defesas :)

      Eliminar
  2. Cansei-me, em tempos, de ouvir isso. Entretanto, as pessoas cansaram-se ou esqueceram-se ou, pior, tornaram-se, como eu, cépticas, apesar de estarem acompanhadas.
    Bom fim de semana, ana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. às vezes parece-me que as pessoas o dizem por invejarem a nossa liberdade. assim de mázinhas :)
      mas eu ainda acredito no amor, mais do que acreditar no amor, acredito no encontro de almas, no reconhecimento.
      como diz o tolentino
      Ainda espero o amor
      como no ringue o lutador caído
      espera a sala vazia
      :)
      bom fim de semana, deep

      Eliminar