domingo, 28 de maio de 2017

O que fazes hoje?








pergunta o homem da palestra:

"O que fazes hoje?
Nada. Hoje é domingo.

(...) vocês têm esta divisão do tempo semanal em módulos, e sábado, para umas culturas, e domingo para outras, devia ser o dia em que o tempo terrestre se alinha com o tempo cósmico, em que kronos se alinha com kairos, e kairos e kronos se alinham com aéon.

Kairos, é o tempo que não é dos deuses nem dos homens, o tempo intermédio, o tempo mágico, a sensação de tempo quando estamos profundamente entusiasmados, empenhados e energizados. A percepção do tempo resulta do entusiasmo. (…) kairos é a experiência de estar com um pé no tempo, e com um pé fora do tempo. Kairos é o que acontece quando estás a ver uma bailarina, ou uma companhia inteira de ballet e a ultima coisa que pensas é em tempo. Mas o tempo está a passar, mas a nossa percepção é que é diferente. Acima de kairos e de kronos existe aéon, tempo que não passa."

hoje não foi domingo, para mim, e sinto-o no corpo, foi o peso do tempo terrestre sem a leveza do tempo cósmico.

[é aí que te encontro, em aéon.]









2 comentários:

  1. hum... foi domingo, logo cozinhei, arrumei, mas também procrastinei q.b. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. foste um lindo menino. já eu, pequei :)

      Eliminar