sábado, 7 de maio de 2016

inquietudes













o meu silêncio é o ruído que deixaste dentro de mim. 
inquieta, sento-me, quieta, enquanto a chuva cai persistentemente lá fora, dentro do meu peito sangrante, de tão fechado pela tua ausência tão presente em mim.


















4 comentários:

  1. Escreves sempre coisas lindas que são ao mesmo tempo triste mas por isso são lindas :))

    ResponderEliminar
  2. triste é o vazio. tudo o mais é bom :)

    (isto sou eu a puxar a brasa para a minha sardinha)

    ResponderEliminar
  3. então não te esqueças, Manuel :)

    ResponderEliminar