segunda-feira, 9 de maio de 2016

e não chove

















saio para a rua com a esperança de que a água fria da chuva na minha pele acalme a lembrança que trago da impossibilidade de ti. 
e não chove.
lá fora, o tempo traz-me todas aquelas maneiras que tem para me inquietar. a natureza em reboliço entra por todos os poros que deixaste abertos, e conduz-me nesta vertigem e respiração descompassada.
um desatino só. tu sabes bem.

agora, prendo o cabelo em frente ao computador e não sei se descasque cebolas, se mergulhe no médio oriente ou se tente um mundo paralelo...

dizem que escolhemos a vida que nos propomos viver... onde tinha eu a cabeça?
(não tinha, eu sei que não tinha...)
















12 comentários:

  1. Escolhemos? Oh, tanta gente que não escolheria a sua! E já nem falo da guerra, miséria, fome, contextos em que alguns nascem e mal sobrevivem...Escolhemos só em parte o que temos mas há que agarrar essa parte com unhas e dentes, aproximá-la o mais possível da vida que realmente queremos (isto quando sabemos o que queremos).
    ~CC~

    ResponderEliminar
  2. há quem acredite, CC, que a alma antes de encarnar, escolhe a vida que vai viver, salvaguardando o livre arbítrio, para o seu crescimento, para a sua evolução e para ajudar outras almas nesse caminho.

    conheço pessoas que acreditam nisso. eu ainda procuro o meu caminho. só sei que ele se faz, caminhando. :)

    ResponderEliminar
  3. Também não sei onde tinha eu a minha...
    Ninguém avisou que isto ia correr assim, arre!

    ResponderEliminar
  4. Todas as escolhas tem perdas.A vida há-de ser sempre esse balanço entre as escolhas e as consequências.

    Bom dia, Ana .)

    ResponderEliminar
  5. e que esse balanço nos sirva de lanço, Impontual, bom dia para si, com a natureza a manifestar-se de todas as maneiras :)

    ResponderEliminar
  6. escolhia as cebolas... as novas e doces :)

    ResponderEliminar
  7. tu? vingança??? eras lá capaz...

    eu também escolhi as cebolas...aliás, vou alternando :)

    ResponderEliminar
  8. Não sei se escolhemos, há vidas muito perturbadas e agitadas. Difíceis. Não acredito em reencarnação :) mas acredito que todos podemos tentar fazer melhor. Nem sempre é o caminho mais fácil.

    beijinhos ana da minúscula

    ResponderEliminar
  9. eu acredito, vizinha. só assim pode haver justiça... :)

    beijinhos, vizinha das dunas :)

    ResponderEliminar