sábado, 7 de abril de 2018

pontes para mim








raramente sei o motivo que me leva a ir. apenas uma força me empurra e nada tem a ver com vontade, pois a vontade também me falta. quando me perguntam 'porque vieste?', eu respondo que não sei, nunca sei. com sorte, quando regressar terei percebido a razão, ou apenas muito tempo depois. 
hoje, trouxe comigo o coração aberto daquela mulher expondo a sua insegurança, admitindo a sua fragilidade. hoje, trouxe comigo aquela mulher indígena que quer fazer com que a vida que vive, tenha valido a pena viver. hoje, trouxe comigo o abraço apertado e longo daquela mulher que não me diz nada. hoje, trouxe comigo aquela mulher, que tal como eu, vai apenas porque sente que sim. a cada vez que vou, venho cada vez mais como sou, eu. é na diversidade que me identifico. 
tantas pontes atravesso para chegar a mim.









6 comentários:

  1. também eu, sabes, guardo um pouco de ti em mim.

    beijo-te, ana bonita.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. cuida bem de ti, menina bonita.
      beijo ***

      Eliminar
    2. eu não vou a lugar algum, continuo aqui, ana bonita. :)

      Eliminar
  2. "a cada vez que vou, venho cada vez mais como sou, eu."

    tão simples e tão bom!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é o caminho de regresso, para o que se é.
      obrigada, il.

      Eliminar