terça-feira, 31 de outubro de 2017

nuvens







lentamente as nuvens tomam conta da imensidão azul do céu prometendo saciar a sede da terra árida, dos veios secos dos rios, das árvores que se livram das folhas, da electricidade que concentro em mim. 
tu sabes dos meus cabelos que se levantam se tento penteá-los, os meus dedos que faíscam quando toco no carro (hoje, até em cebolas), a roupa que se cola ao corpo, o nariz que dá estalidos quando encosto ao teu. 
além de estar a secar, consumo-me no que me rodeia. 











8 comentários:

  1. é melhor nã partilhares muito essa electricidade, ou qualquer dia começam a pedir-te que carregues telemóveis...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ah... tens razão. acho que vou apagar o texto...

      Eliminar
    2. que apagar o texto... qual quê?! deixa tar que tá muito bem, e eu gosto de nuvens, e em breve também vai chover ai que eu sei :)

      Eliminar
    3. se não chover estás à pega...

      Eliminar
  2. os meus dedos hoje estão cheios de chuva.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. aceito chuva de todas as formas. nos teus dedos seria muito bom :)

      Eliminar