domingo, 6 de agosto de 2017

o homem-terra









ainda arrisco a defender que o medo previne-nos do perigo, que é necessário para a sobrevivência. o homem-terra diz-me que não, que são justificações que encontro para não arriscar. diz que o que nos previne do perigo é a cautela, a precaução, não o medo. 
- o medo tolhe-nos, é irracional - diz ele - o medo são registos no recôndito da nossa memória, muitas vezes apagados, muitas vezes inconscientes. porque o instinto de sobrevivência, quando o sofrimento é muito grande, pode fazer com que se apague a recordação do que se viveu, mas ficam os registos em forma de medos. é isso que te impede de seguir. é o medo.

eu olho para dentro de mim e vou até onde as recordações me permitem, e identifico uma a uma, as raízes de alguns dos meus medos. aquela conversa que não era suposto que eu ouvisse em criança, as mentiras das colegas da primária, a boçalidade de alguns homens na adolescência, a violência do namorado, a negligência, o abandono, a mentira, o engano, a ignorância, as mortes prematuras, a falta de dinheiro, os negócios fracassados, a rejeição, a doença. no fundo a vida de toda a gente, mas é agora que me proponho, um a um, encará-los e dialogar com eles, aos medos.

- porque é que não queres a prosperidade e a abundância para a tua vida? -pergunta-me o homem.
- eu quero. só não quero da maneira que todos querem, não quero dessa maneira que me dizes. quero à minha maneira.
- tu és estranha - diz-me o homem que vê mais do que o que os olhos alcançam - tu és estranha - repete de olhos fechados, sem me explicar a razão do que diz.














12 comentários:

  1. Eu tenho medo de sofrer outra vez. O medo faz-nos construir muros e barreiras.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O medo de todos os medos :)
      Também eu...

      Eliminar
  2. ...esta mania de nos rotularem...enfim...
    Beijo de bom dia , Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até eu acho-me estranha...
      Que seja um dia Bom, Goti :)

      Eliminar
  3. Li que há pelo menos uma mulher no mundo que nã sente medo devido a um problema fisiológico... o que pode ser vantajoso para ela pois nã sofre como os demais, mas também a coloca em mais situações de risco, porque nã consegue avaliar como uma pessoa normal... como tudo, talvez o ideal seja encontrar um equilíbrio...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também li. A capacidade de calcular riscos. O medo é o que nos tolhe, o que nos impede.
      E o mojito?

      Eliminar
  4. Agora toda eu sou medo, ana bonita.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu tens montanhas dentro de ti, não deixes que o medo te leve a grandeza, te roube a vida.
      Beijo -te, menina bonita.

      Eliminar
    2. Achas, ana bonita, que sou tudo isso? Eu não me sinto em lado nenhum, nem tão pouco consigo ver-me. Sabes, ana, quando engravidei quis pedir-te a receita das tuas bolachas. Quis que me ensinasses para eu fazer para o meu bebé. E depois perdi. Agora deixo aqui o pedido. Se eu engravidar outra vez quero que me ensines a fazer bolachas.

      Gosto de ti.

      Eliminar
    3. vais ser a melhor de todas bolacheiras, menina bonita.
      quero-te muito bem.

      Eliminar