domingo, 25 de junho de 2017

credo, que sufoco








35 minutos ao telefone a falar com ela, a ouvi-la contar do homem que a deixa em suspenso, que não lhe responde às mensagens, que chega atrasado à festa sem uma justificação, que lhe dedica uma canção e sai, que a mantém expectante enquanto seduz a outra, que não lhe diz que a quer, mas que não diz que não quer, que a convida para tomar um café mostrando-se delicado e atencioso, ignorando-a nos dias seguintes. e ela, a gostar cada vez mais dele. e eu a ouvi-la. e eu a aconselhá-la a esclarecer a situação, lembrando que enquanto lhe dedica a atenção, indisponibiliza-se para quem realmente a quiser, que ele não está a ser honesto, que ela tem que saber o chão que pisa, que sempre procurou estabilidade, que sem confiança e transparência não há relacionamento algum, nem sequer amizade, muito menos amizade. e ela a ouvir-me, e eu a ouvir-me, e na minha cabeça a ecoar um 'não tinhas pedido pistas, orientação? não pediste para te ajudar a ver o que não consegues ver?', e ela do outro lado do telefone a falar nas palavras que ele lhe dedicou, e que no minuto a seguir deixou-a só, sem nada lhe dizer no dia seguinte. e eu ansiosa por desligar o telefone.











9 comentários:

  1. Respostas
    1. deus me livre e guarde de semelhante maleita :P

      Eliminar
  2. Talvez oferecer-lhe o livro Ele não está assim tão interessado (penso que é assim o nome, depois vou confirmar no Google) ou levá-la a ver o filme...

    ResponderEliminar
  3. Já de volta, o título é mesmo esse
    link aqui https://www.presenca.pt/livro/ele-nao-esta-assim-tao-interessado/

    ResponderEliminar
  4. "credo"!? Ana, então não é para isso que servem os amigos? Um bom amigo é também um bom ouvinte, é para as horas boas e para as más; diria que é naquelas horas, as menos boas, que se vê quem realmente é amigo já que nas outras, da mó de cima, todos são grandes amigos.

    Concordo 100%; Sem confiança e transparência não há sequer amizade, muito menos amizade.

    Dia bom, Ana.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o "credo", Té, era para mim mesma. ouvia-me na voz dela, e ouvia-me na minha.
      boa tarde :)
      beijinho

      Eliminar