terça-feira, 21 de março de 2017

as asas da gaivota








travo a fundo para deixar uma gaivota atravessar a rua.
- tem asas e não voa. 
diz com ar crítico o rapaz ao meu lado.
- são tantos os que têm asas e não voam...
- como assim? quem?
- as pessoas...
- como é que querias que voassem?
- quando perseguimos os sonhos, voamos, vamos mais além. olha, como tu. tu voas.
- achas? Lol... 
- claro, no teu trabalho em lutares pelo teu sonho, de cada vez que te transcendes, que ultrapassas os teus limites.
- não acho que me transcendo...
- mas fazes por isso, tentas. olha, 99 por cento das pessoas não o faz.
- és capaz de ter razão.
- tenho tenho, pensa nas pessoas à tua volta.
ele olha para mim pensativo.
- obrigado por me trazeres. até logo.
e sai em direcção à estação de metro. 
eu venho para casa a pensar nas minhas asas. meto as mãos nos bolsos e só encontro conchas.









10 comentários:

  1. assim de repente senti que também voava. por ainda não ter desistido do meu sonho. obrigada, ana bonita. :)

    ResponderEliminar
  2. não desistas, menina bonita, nunca...

    ResponderEliminar
  3. Tem razão, tem. :)

    Nunca deixes de ter asas, ana. Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agarro-as com unhas e dentes, deep.
      Beijo:)

      Eliminar
  4. Mas as conchas também nos fazem voar ana, pelo menos em pensamento :)

    ResponderEliminar
  5. feliz por te saber com asas :)

    Só não encontro as minhas...

    ResponderEliminar
  6. tens que olhar melhor, nem sempre têm penas, conta corrente :)

    ResponderEliminar
  7. as conchas são os teus pesos, se assim nã fosse, voavas para longe...

    ResponderEliminar