terça-feira, 7 de junho de 2016

a mim

























digo assim a modos que me entendam que não estou capaz de agendar nada. nem para amanhã, nem para o feriado, nem fim-de-semana, nem mês que vem. alego cansaço, que é justificação compreensível para alguns.
na verdade, convivo demais com aves. despega-se-me a alma do corpo e voa. o meu corpo está aqui por acaso, por mero acaso. se fecho os olhos, sinto que sou capaz de me fazer chegar aí, para onde a minha vontade me chama, todos os dias, todas as horas. o meu medo é não encontrar o caminho de volta. a mim.
















10 comentários:

  1. O mais difícil é mesmo encontrar o caminho de volta, querida ana!

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
  2. pois é Miss...pois é...e?

    beijinho :)

    ResponderEliminar
  3. é a superior diferença das aves. elas nunca perdem o caminho de volta. :)

    Boa noite, ana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um bocadinho delaa em mim...que bom que seria...:)
      Bom feriado, Teresa

      Eliminar
  4. ai ai. ansiedade mesmo. já disse, ansiolítico é para parar.
    deixa o computador, só faz mal ao stress, tem ondas que podem
    interferir no estado psíquico e corporal. como a eletrecidade
    estática. a medicina chinesa aconselha, passeios na areia, descalça,
    pés na terra durante algum tempo, abraçar uma árvore.
    descarrega isso!
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada tristan. Vou seguir o teu conselho.

      Eliminar
    2. Obrigada tristan. Vou seguir o teu conselho.

      Eliminar
  5. arrisca dois centímetros acima da pele...

    ResponderEliminar
  6. Arriscar é perder lhe o controlo....

    ResponderEliminar
  7. Arriscar é perder lhe o controlo....

    ResponderEliminar