quinta-feira, 5 de maio de 2016

Noite









Com o corpo tão cansado que nem a alma me abriga, chego a ti, assim, para que me acolhas, para que me regresse. E tu deixas-me ser nada, revivendo, lentamente, na tua pele, colada à minha













11 comentários:

  1. Que porcaria isso da pele colada! E tomaste banho ? Parece-me que não :)))

    Bom dia :)

    ResponderEliminar
  2. é cebo, vizinha, muito bom para isolar do frio e da chuva :)

    vai até à praia, vai...

    beijinho!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  3. a vizinha lá do quarto deve trabalhar para a inspecção geral de saúde pública... pelo menos nã te disse como a mim, que cheiras mal... vá!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem desdenha, Manuel...já sabes...

      Eliminar
    2. Mas desdenho o quê ou quem???

      Manel vai é tomar banho!!

      :)))

      Eliminar
  4. "que nem a alma me abriga" - tanto o cansaço.
    Do nada revive-se, recomeça-se.

    bj amg

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, Carmem. Quantas vezes renascemos noutra pele....
      Beijo

      Eliminar
  5. olha, olha Manuel, conheces a fábula da raposa e das uvas?

    agora pensa....

    ResponderEliminar